Oh Snap!

Please turnoff your ad blocking mode for viewing your site content

Fat Bike: O que é, quais as vantagens e os melhores modelos

Diariamente nós vemos diferentes bicicletas nas ruas ou nos parques, elas podem ter suas diferenças, mas todas parecem iguais. Isso é algo que não acontece com uma Fat Bike, quando você ver uma, você irá logo perceber que ela é muito diferente de uma bicicleta “comum”. Neste post você irá entender o que é uma Fat Bike, o que faz ela ser diferente e quais são as vantagens dela possuir essas características.

O que é fat bike?

Na tradução literal, Fat Bike significa “bicicleta gorda”. Essa nomenclatura tem origem nos pneus de largura bem maior que os de uma bike comum. Só para você ter uma ideia, enquanto normalmente uma MTB tem pneus com largura de duas polegadas, nas Fat Bikes as medidas variam entre 3,7 e 4,8 polegadas. Esse modelo se tornou popular na década de 1980, sendo adotado inicialmente em terrenos desérticos e em segundo momento nas localidades mais frias. Isso porque os pneus mais largos se adaptam muito bem à neve. Entretanto é importante salientar que os benefícios dos pneus largos vão muito além da adaptabilidade aos esportes de inverno. Vale lembrar que, embora o Brasil não apresente um inverno rigoroso, possui uma costa litorânea bem extensa, e as Fat Bikes podem ser ótimas para a areia. Mas para que serve a fat bike? De forma geral, essa é uma categoria de bikes feita para pedalar por qualquer lugar mesmo, sem as dificuldades que os caminhos impõem a outras modalidades. Por exemplo, seria impossível pedalar de road bike em uma ladeira com pedras, e uma mountain bike não tem muito rendimento no asfalto, com pneus de cravo. Ou seja, com uma série de peças e construção que visam engolir qualquer obstáculo à frente, essas bikes são para quem quer um bom pedal, do recreativo à cicloviagem.

Qual é o pneu da fat bike?

Os pneus com largura acima de 3.0 são os carros-chefes dessa categoria que preza pelo exagero nas rodas, mas sem prejudicar a pedalada e o passeio. Medidas mais largas ainda, como até 4.5 são usadas em alguns quadros feitos para acoplar esses gigantes de borracha. Apesar de os pneus de uma fat bike serem imensos, a pressão em cada um é baixíssima, muito inferior às calibragens de pneus de MTB e road bikes. Na casa de 15 a 25 PSI, um pneu fat, como também é chamado, já está de bom tamanho — e que tamanho. Para acompanhar pneus tão largos, eles devem vestir aros proporcionalmente imensos. Os aros de uma fat bike são em sua maioria, de alumínio, pois é um material leve, e eles ainda são furados, para aliviar o peso das rodas. Como os pneus de um fatbike são imensos, eles ganham volume em aros pequenos, chegando a ficar com o diâmetro quase igual aos aros 29, por exemplo.

Quais são os benefícios da Fat Bike?

As fat bikes carregam muito mais do que pneus largos e a possibilidade de pedalar por diversos lugares. Elas são parceiras perfeitas por reunirem muitos diferenciais que conquistam facilmente vários públicos de ciclismo: do iniciante ao profissional.

As fat bikes permitem pedalar por mais lugares e por mais estações do ano. De dunas a curvas, de corridas a recreação. Os pneus largos tornam estas máquinas extremamente capazes e surpreendentemente divertidas. Elas são capazes de serem pedaladas em diversos solos, tais como:

Areia: Esse tipo de solo é muito macio para pneus mais finos, seja com cravos ou slick — liso —, mas aumentando sua largura, a fat bike tem mais estabilidade e não “patina” na areia.

Neve: Um dos terrenos mais difíceis de se controlar numa bicicleta, pois o gelo escorrega e está em constante deformação, seja pelo calor, ou porque mais gelo se forma. Mas, uma fat bike dá conta do recado de encarar montanhas de neve, sem passar apuros.

Trilhas: Cascalho, raízes, terra e pedras. As trilhas são feitas de tudo isso e mais o que tiver pelo terreno, fazendo das mountain bikes, até então, as únicas que o encaravam. Com as fat bikes, uma trilha pode ser desbravada sem problemas, com o diferencial de serem ótimas para subidas.

Rochas: Terrenos rochosos, tanto de pedras brutas como de barro seco e rachado, são vencidos com as fat bikes, que dão a aderência e a estabilidade para encará-los. O cuidado que se deve ter é proteger os pneus contra furos, com selantes e fitas anti-furo.

São ideais para cicloviagens, sendo extremamente confortáveis e possuem muita tração.

Quais são os diferentes tipos de Fat Bikes?

Elétricas: com o propósito de unir o melhor das bikes elétricas com a diversão das fat bikes, esse tipo tem motores potentes e são bastante avançados em tecnologia geral de projeto;

Rígidas: feitas para passeios e treinos em qualquer terreno, com a vantagem de ter peso reduzido, já que são de garfo rígido; 

Hardtail: com suspensão dianteira, essas fat bikes oferecem um passeio mais esportivo, com o conforto que 100mm a 120mm de curso trazem; 

Full suspension: também presentes nas fat bikes, as full suspension servem para treinos pesados, cheios de obstáculos em que “dropar” é de lei;

De fibra de carbono: com quadro e garfo em fibra de carbono, tornando as fat bikes muito leves e facílimas de subir morros, são modelos top de linha

De aço cromoly: voltadas mais a durabilidade e a resistência que uma cicloviagem e passeios longos exigem;

De alumínio: convencionais, podem ser rígidas, full suspension, hardtail e com todas as variações, feitas com o quadro nesse material leve e resistente.

Antes de você procurar onde comprar uma Fat Bike, descubra aqui quais são as melhores marcas Fat Bike e quais são as melhores Fat Bikes:

Mongoose Malus:

Trata-se da Fat Bike mais barata, podendo ser encontrada a partir de $449.99. Trata-se de uma Fat Bike de entrada da marca, possuindo um shifter qie mantém as coisas simples e os freios são confiáveis ​​no inverno, com força de frenagem para mantê-lo na pista o ano todo

Rocky Mountain Blizzard 10:

Na faixa dos $1000,00, esta é a melhor Fat Bike que tem. Apresentando geometria de bicicleta de trilha combinada com pneus Maxxis FBF / FBR de 4,8 polegadas de alta qualidade, a shimano fornece os componentes do sistema de transmissão na forma de um câmbio Altus de nove marchas e câmbio traseiro

Specialized Fatboy:

Esta é uma Fat Bike de preço intermediário, estando por volta dos $1.875,00, mas que contém todos os equipamentos certos. Tudo começa com os pneus 27,5 x 3,8 Maxxis. O diâmetro maior – em comparação com as rodas de 26 polegadas – aumenta a velocidade de rolamento e a tração,

Telluride:

Trata-se de uma Fat bike para ciclistas que desejam pedalar em diferentes tipos de solos, mesmo que esteja molhado, seco, escorregadio etc, esta bike está preparada para tudo isso e muito mais. Ela pode ser encontrada a partir de $2.041,00

Trek Farley 7:

É a melhor Fat Bike quando se considera todas as estações do ano. O diâmetro maior significa um rolamento mais suave e melhor tração, e como a tração é o ponto forte de uma Fat Bike, mais é sempre melhor. O garfo de suspensão fornece tração e controle adicionais em superfícies duras. O Farley 7 dá para o ciclista uma versatilidade para todas as estações, entregando controle em velocidades lentas em superfícies macias e em velocidades mais altas em trilhas de terra. Pode ser encontrada a partir de $2.599,00

This div height required for enabling the sticky sidebar