Se tem uma coisa que todo e qualquer ciclista deve sempre prestar atenção é a condição da corrente. A razão é simples: além de aumentar a vida útil das peças envolvidas na mecânica da bike, ela é a responsável por transformar a sua força em movimento. Imagine uma engrenagem suja, enferrujada ou seca, você certamente irá ouvir rangidos, atritos; você vai observar um desgaste maior das peças.

Se você em algum momento passa o dedo na corrente e nota que está seca ou com uma textura granulada – ou ainda, se durante o pedal você nota um rangido repetitivo – provavelmente está na hora de lubrificar a corrente.

Uma boa manutenção da corrente reduz o atrito em todo o funcionamento mecânico (pedivela, coroa e cassete), evitando o desgaste das peças, eliminando ruídos e melhorando o rendimento da força aplicada na bike. No entanto, fica sempre a dúvida: quando e qual lubrificante utilizar?

Em geral, os lubrificantes para bike são de três tipos: à base de óleo, de cera e de cerâmica. Cada tipo responde às necessidades particulares de cada ciclista, variando em função do gosto, frequência de uso, frequência de manutenção e condições climáticas.

Lubrificantes à base de óleo

Vamos começar com os lubrificantes a base de óleo. A depender da concentração de óleo nesse tipo de lubrificante, é ideal para tempo chuvoso ou molhado. Claro, óleo e água não se misturam e esse lubrificante protege bem a corrente em situações desse tipo, seja na lama, na chuva ou na pista molhada.

É ideal, por exemplo, para ciclistas da modalidade MTB que frequentemente se encontram em meio a terra molhada ou úmida. Lubrificantes com baixa concentração de óleo, por outro lado, vão melhor em tempo seco. Podem ser utilizados por ciclistas da modalidade Estrada.

A aplicação desse tipo de lubrificante deve ser feita conforme orientação descrita no tubo (geralmente 24h antes de pedalar). Em geral, os lubrificantes de óleo têm boa aderência e duram mais na corrente se utilizados corretamente (não adianta usar um lubrificante para climas seco em um dia de chuva).

E onde entra a questão de gosto aí? Bom, o lubrificante a base de óleo, por exemplo, pode ter origem vegetal ou mineral, sendo o primeiro biodegradável e o segundo não. Os mais comuns encontrados no mercado são, por exemplo, das marcas Finish Line, Muc-Off, Smoove e Squirt.

Lubrificantes à base de cera

Dentre os mais utilizados pelos ciclistas de estrada estão os lubrificantes de cera. Apesar de serem menos aderentes, exigindo mais aplicações que os lubrificantes à base de óleo, os lubrificantes de cera penetram melhor na corrente e podem ser utilizados em outros componentes na bike, como no pivô de câmbio e no pedal para encaixe da sapatilha.

Os lubrificantes de cera são ideais para tempo seco, formando uma película de proteção que evita acumular sujeira (poeira, terra, areia), e a depender da composição, pode ter maior ou menor quantidade de água (ou seja, ter maior ou menor viscosidade).

A aplicação recomendada pode variar, mas em geral uma primeira camada 24h antes da pedalada. Marcas como S-Wax, Squirt, Algoo, Finish Line, oferecem lubrificantes de cera.

Lubrificantes à base de cerâmica

Já os lubrificantes de cerâmica têm uma qualidade excepcional: a cerâmica. Na verdade, são partículas de cerâmica, que garantem alta resistência e formam uma camada na corrente que não atrai sujeira e umidade, o que possibilita um funcionamento mais limpo, funcionando bem para climas secos.

Há, também, os lubrificantes cerâmicos úmidos, com ótima lubrificação e durabilidade, suportando tanto climas úmidos quanto secos. Os lubrificantes de cerâmica formam uma cadeia de ligação mais forte e, portanto, são bem duradouros, ideais para pedaladas longas, e a aplicação deve seguir as recomendações do fabricante. Finish Line e a brasileira TecTire oferecem lubrificantes desse tipo.

O que nunca usar como lubrificante

E quando não encontrar nenhum desses lubrificantes específicos para bike? O melhor é continuar buscando, porque aplicar outros produtos (como w-40 ou óleo de cozinha, por exemplo), que não foram fabricados para esse fim, pode piorar muito a sua situação. No passado, era comum utilizar na bike produtos feitos para outras aplicações.

Hoje, temos uma vasta gama de possibilidades, marcas e tipos, que atendem as suas necessidades específicas. Busque sempre conhecer os produtos especialmente desenvolvidos para bike, são eles que vão de fato funcionar.

Lembre-se sempre de verificar as condições da corrente e, quando for utilizar o lubrificante de sua escolha, limpar e secar bem todo o conjunto antes da aplicação.

Boa pedalada!