Você que é ciclista, amante da bicicleta, iniciante, entusiasta ou apenas curioso já deve ter se perguntado de onde veio a bicicleta, onde ela surgiu, quem a inventou, como foi a primeira, para que servia. Perguntas que cabem dentro de uma pergunta maior: quais as bicicletas mais antigas do mundo.

Fizemos neste artigo um recorrido histórico retomando momentos importantes da história da bicicleta, seus percursores, sua evolução e desenvolvimento e algumas curiosidades deste percurso.

É importante esclarecer que a história da bicicleta possui aspectos onde não há consenso, datas e movimentos históricos que os estudiosos ainda não há plena concordância. Acabamos por encontrar conflitos ao nos dedicar a esta pesquisa, deste modo a progressão estabelecida neste artigo pode conter pequenas divergências em algumas datas ou nomes, considerando a diversidade de fontes de pesquisa, quanto mais recentes as mudanças, também mais pulverizada sua origem, considerando nosso contexto globalizado. No entanto é possível entrar em contato com a história da bicicleta e alimentar nossa curiosidade sem entrar, aqui, nos meandros e precisões das discussões dos estudiosos.

Ao menos em relação a qual é a bicicleta mais antigo do mundo parece haver consenso. Aproveitem o percurso.

Ano 1817 – Karl Von Drais | Primeira bicicleta do mundo: Draisiana

Impulsionado por uma série de desastres como uma das maiores erupções vulcânicas que temos conhecimento, uma escassez de alimentos muito grande e entre os desdobramentos uma baixa nunca vista nos animais, inclusive os cavalos, responsáveis por grande parte do transporte da época, Karl Von Drais, um inventor alemão, inventou o que podemos chamar da primeira bicicleta. Uma estrutura de madeira, praticamente reta, que ligava duas rodas também de madeira, uma espécie de guidom com movimentos super curtos e um acolchoado no local onde se sentava. A bicicleta não possuía pedais, ou qualquer engrenagem, a propulsão era feita pelos pés, empurrando a chamada Draisiana, ou cavalo de pau, que possuía algo em torno de 25kg, para frente. Sem freios

Ano 1866 – Pierre Lallement – Bike Velocipede

Pierre Lallement – Bike Velocipede

Pierre Lallement, fabricante de carros francês, patenteou a primeira bicicleta com pedais, na época chamou de Velocipede, do latim pé rápido, havendo discussões sobre sua originalidade. Estas bicicletas possuíam pedais de manivela diretamente ligados na roda da frente a qual era um pouco maior que a traseira, no entanto ainda não possuía uma boa dirigibilidade. Sem freios.

Ano 1871 – Kemp Starley – Bike Ariel

Um inventor inglês, Kemp Starley, inventa a chamada Ariel, aquela bicicleta com a roda dianteira mais que o dobro que o tamanho da roda traseira, com pedais de manivela ligados diretamente a roda dianteira, e um guidom com uma boa margem de movimento, a estrutura já era feita inteiramente de metal, no entanto ainda com alguma dificuldade no quesito dirigibilidade. Freio simbólico.

Ano 1885 – Kemp Starey – Bike Roover

Kemp Starley – Bike Roover

Kemp Starey, inventor inglês, inventou Roover bicicleta segura duas rodas iguais guidom pneu inflável e rodas com raios, tração com engrenagem e corrente na roda traseira, maior dirigibilidade, boa funcionalidade para os deslocamentos, mulheres começaram a pedalar interferindo inclusive em suas vestimentas. Freio rudimentar.

Ano 1918 – Bicicletas Tandem

Bicicletas Tandem

As bicicletas ganham espaço e começam a diversificar suas funções, e assim também seus modelos. As bicicletas como conhecemos hoje se tornam a regra, e a partir disto começam a aparecer as chamadas Tandem, bicicletas para duas, três e até quatro pessoas.

Ano 1920

Talvez gere estranheza, mas apenas por volta de 1920 que as crianças foram inseridas no universo das bicicletas, começam a aparecer modelos produzidos especialmente para elas, menores, com desenhos e acessórios que remetiam a máquinas, motos, aviões ou foguetes.

Ano 1964

Esta é uma data interessante na história da bicicleta, de suas funções e seus modelos, neste ano se inicia um movimento de Bicicletas Comunitárias, bicicletas clássicas no modelo feminino, mas robustas e resistentes, são colocadas a disponibilidade do público para que use livremente, com a única condição de quando terminar o uso deixa-la solta, para que uma próxima pessoa pudesse utiliza-la. Na Época a ideia não foi bem aceita, proposta que a partir de então fora retomada, inicialmente por países da Europa e em seguida se propagou pelo mundo, sempre com os clássicos modelos femininos e robustos, proporcionando uma bicicleta mais democrática, resistente e confortável.

Ano 1970

No final dos anos 60 e começo dos anos 70 a diversificação de utilidades, funções e modelos ganha dimensões nunca vistas, surgem diversas categorias diferentes, com seus respectivos modelos bastante singulares. Surgem em uma frente bicicletas específicas para andar na terra, terrenos irregulares, trilhas, cascalhos e toda diversidade de terrenos, as chamadas Mountain Bikes, com pneus mais largos e com cravos, um quadro resistente e com uma geometria que proporcione conforto para trepidações e agilidades desviar de obstáculos.

Em outra frente, o ciclismo de estrada ganha mais popularidade e as pesquisas em torno da aerodinâmica e rendimento começam a ser mais valorizadas, de modo que esportes como Triathlon começam a beber desta fonte e utilizar estas bicicletas que são produzidas para terrenos regulares e asfaltados, com pneus lisos e finos, e uma geometria que proporcione maior aerodinâmica por um lado, e menos agilidade por outro.

Surge também as bicicletas de BMX, bicicletas menores e por isso que proporcionam muito mais agilidade para fazer diversas manobras, saltos e se divertir em espaços mais restritos, já que seu tamanho reduzido não permitiria grandes distâncias. O BMX acaba se tornando um esporte, inicialmente praticado por crianças e jovens, em pistas com obstáculos e rampas, comumente feitas de terra e cascalho.

Ano 2000

Bicicleta Flat Foot

No início dos anos 2000 houve uma inovação no desenho das bicicletas que pode soar estranho ter sido desenvolvida apenas nesta data. As bicicletas de passeio, conhecidas como “Flat Foot”. Uma bicicleta desenvolvida para ser o mais simples e confortável possível, de modo que a base do selim seja mais baixa, assim quando parado o ciclista não precisa ficar nas pontas dos pés, e deste modo parar e voltar a andar ganham uma dinâmica mais funcional, proporcionando mais conforto e lazer, o eixo da bicicleta também foi alongado, deixando-a mais estável, principalmente em baixas velocidades, otimizando ainda mais a proposta da bicicleta.

Se encontrou algum erro ou pode nos acrescentar algum valor ao artigo, por favor deixe seu comentário.